1 de julho de 2016

Violência contra a mulher

Violência contra a mulher



Meninas e meninos boa noite!
Hoje venho falar de um assunto que está o tempo todo na mídia, vem acontecendo cada vez mais; a violência contra a mulher! Muito vem se falando, e ao mesmo tempo, parece que nada é feito e cada vez mais vem aumentando os abusos. A mulher sofre vários tipos de violência a sua vida toda, quando nasce que e imposta a ser mulher de uma forma que não vemos os homens serem impostos, o modo de vestir, de brincar, de sentar, de se comportar e até mesmo de como ser, os homens podem tudo a mulher nada, a mulher tem obrigações dentro e fora de casa, nunca pode decepcionar a família, algumas vezes são colocadas para fora de casa por não concordar com alguma coisa e não fazer o que a família quer, agora os homens, á os homens, não tenho nada contra mas são criados para ser “o cara”, pegar todas, sair de casa, fazer o que quiser escolher o que quer para sua vida. Agora pensa comigo você que pensa assim o meu filho pode, ele é homem, nossa esse sim sai com várias meninas, tenho orgulho do meu filho, são bem essas as frases, e não que eu esteja inventado pois vim do interior e via essas frases constantemente. 




Imagem: Vitor Pilotti


Depois vem a fase da adolescência, aí então já era como você se vesti diz a sua personalidade, não é assim, pinta o cabelo de uma cor diferente, coloca Pierce e faz tato o, aí você já era, não presta, não serve para casar com o meu filho, rsrsrs. Bom agora você já é adulta dona da sua vida, pode fazer o que quiser, até mesmo conseguir aquele tão sonhado emprego, aí lá no emprego ou durante o trajeto o que acontece, mais abusos, não estou aqui falando que só as mulheres sofrem abusos, mas com certeza é o gênero que mais sofre, e também que nem sempre esses abusos vêm só dos homens, algumas vezes vem de outra mulher mesmo, aí pergunto porque será? Aonde vamos parar com isso? Não sei as respostas, mas de uma coisa eu sei, não sou culpada por sofrer esses abusos, essa violência, a minha roupa, o meu comportamento, o meu cabelo, a minha cor, as minhas tatuagens, não dizem quem sou e muito menos fazem de mim alvo para a violência. Eu gostaria mesmo de passar um sermão para você que pratica e falar uns palavrões, mas não é o lugar e nem o momento. Mas poderia se colocar no lugar da mulher, se colocar no lugar da sua mãe, irmã, como se sentiria, vamos levar adiante aquela frase clichê, mas que se enquadra bem nesse momento, “Não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você”. Precisamos mesmo mudar essa cultura, cultura do estupro, cultura da violência, todos juntos pela cultura do amor, da solidariedade.


  • Definição "cultura do estupro"



                                              Imagem: Bianca Lobianco

                         

                                       Imagem: Cappuccino e bobagens  Encontro solidário de blogueiros


         Ufa, então é isso por hoje, desabafei, agora chega né!
bjinhos de paz para todos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.